Como podemos melhorar nossa imunidade em tempos de pandemia?

melhorar-imunidade-pandemia

Atualmente, a busca pelo fortalecimento do sistema imunológico tem sido uma das maiores preocupações das pessoas. Isso porque estamos diante de uma doença agressiva e pouco conhecida que assombra todo o mundo, a COVID-19. De fato, a melhor defesa – neste momento em que não temos ainda uma vacina ou medicamento totalmente testado para garantir a cura – é manter o sistema imunológico otimizado. Não seremos capazes de evitar a COVID-19 se estivermos expostos ao vírus, mas é possível reduzir ao mínimo a carga viral. E é por isso que aumentar o seu sistema imunológico pode lhe dar uma vantagem extra para permanecer saudável – não só em meio à pandemia, mas em um quadro geral.

A forma mais eficaz de fortalecer o sistema imunológico é a partir de um maior consumo de alimentos in natura. Frutas, legumes, verduras e grãos que são fontes ricas em nutrientes essenciais para a manutenção da saúde, como vitaminas, minerais e fibras. É importante também fazer uma boa ingestão de líquidos, mantendo o corpo bem hidratado.. Importante lembrar que é imprescindível evitar os alimentos industrializados e ultraprocessados, uma vez que uma dieta rica em sal, açúcar, corantes, conservantes e outros aditivos químicos aumenta o risco de deficiências nutricionais e de doenças, como obesidade, diabetes e hipertensão, que são fatores de risco para complicações da COVID-19.

Outro fator importante a ser considerado é a qualidade e tempo do sono. Sono e imunidade estão intimamente ligados. Tanto que o sono inadequado ou de baixa qualidade está associado a uma maior suscetibilidade às doenças.

Também vale lembrar que a prática de atividades físicas é um hábito muito benéfico para a saúde de um modo geral – o segredo, no caso da imunidade – é a intensidade. Embora o exercício intenso praticado de forma prolongada possa suprimir seu sistema imunológico, o exercício moderado pode lhe dar um impulso. Estudos indicam que mesmo uma única sessão de exercício moderado pode aumentar a eficácia das vacinas em pessoas com sistema imunológico comprometido. Além disso, eles ajudam a reduzir a inflamação e ajudar a regenerar suas células imunológicas regularmente.

A hidratação não o protege necessariamente de germes e vírus, mas é importante para a saúde no geral. A desidratação pode causar dores de cabeça e prejudicar seu desempenho físico, foco, humor, digestão, função cardíaca e renal. Essas complicações podem aumentar sua suscetibilidade às doenças. Por isso, é sempre importante ingerir bastante líquido diariamente.

O estresse é resultado das respostas físicas e mentais causadas por estímulos externos, podendo ser visto como a relação entre o indivíduo e o meio. A forma como uma pessoa lida com os problemas do dia a dia interfere diretamente no seu estado emocional. O estresse emocional baixa a imunidade, o que pode desenvolver ou agravar uma série de doenças. Por isso, saber administrar a pressão e as situações da vida é fundamental para manter a saúde.

E, por último, afirmo a necessidade de manter o calendário vacinal em dia. Mesmo ainda não tendo uma vacina completamente testada e disponível para prevenir a COVID-19, as vacinas são a nossa melhor defesa contra infecções que podem ter complicações sérias, como pneumonia, meningite e câncer, e que ainda podem agravar um quadro de Coronavírus, se contraído.

A melhor maneira de combater a imunidade baixa durante esse período, portanto, é ter um estilo de vida saudável e estar com todas as vacinas do calendário vacinal em dia. É importante manter uma qualidade e tempo de sono adequado para cada faixa etária, ter uma alimentação equilibrada, fazer atividades físicas de forma regular e procurar também manter um bom equilíbrio emocional.

 

Por: Dra. Aline Longatti
Nutrologia
CRM/GO: 13210 RQE: 11992
  • quero-ouvir
Rolar para cima