Óleos Essenciais e Aromaterapia na Infância

Óleos Essenciais e Aromaterapia na Infância

Você sabe o que é aromaterapia? 

Aromaterapia é a ciência que estuda o uso dos óleos essenciais para fins curativos. Foi mencionada pela primeira vez em meados da década de 90 por René Maurice Gatefosse, embora sua origem seja milenar, cerca de 3.500 A.C, período em que os aromas de plantas já desempenhavam um importante papel na cultura das civilizações mais antigas.

O termo “aromaterapia” vem de: “aroma” que significa cheiro agradável e “terapia”, que significa tratamento com objetivo de cura de alguma indisposição mental ou física. A aromaterapia é objeto de estudo em diferentes áreas como a psicologia, biologia, imunologia, terapias avançadas, terapias naturais, neurologia, metafísica e química.

Há alguns anos a política nacional de práticas integrativas e complementares (PNPIC) instituiu no Sistema Único de Saúde abordagens de cuidado integral à população com o uso da aromaterapia.

Veja qual a função dos óleos essenciais
Veja qual a função dos óleos essenciais

Do que são feitos os óleos essenciais e o que podem tratar?

Os óleos essenciais são substâncias vitais aromáticas encontradas nas flores, ervas, frutas, especiarias, raízes, sementes, caule e resinas em que são extraídos de diferentes métodos.

Devido à complexidade de seus componentes químicos, os óleos essenciais abrangem diversas propriedades terapêuticas como recuperação, fortalecimento e equilíbrio da nossa saúde física, mental, emocional e energética.

A aromaterapia pode ser usada na infância assim como na fase adulta, porém com o auxílio de um profissional para te direcionar quanto às dosagens, diluições e formas de uso adequadas para cada fase da criança.

O uso pode ser de 3 formas:

Confira três formas de usar os óleos essenciais
Confira três formas de usar os óleos essenciais

A primeira é a forma tópica (através de massagens ou banhos terapêuticos) sendo recomendado diluir o óleo essencial em óleo carreador ou creme neutro antes de colocar em contato com a pele do bebê ou criança;

A segunda é forma aromática através de difusor de ambiente, difusor pessoal, na gola da blusa ou spray para ambientes;

E a terceira e última forma é a interna, que é recomendada para crianças a partir de 2 anos, sendo o óleo diluído em mel ou outros alimentos.

Existem uma infinidade de óleos essenciais que dão suporte a várias necessidades de bebês e crianças e quero deixar algumas dicas e benefícios nesse artigo para vocês. Vamos lá? 

Lavanda – tem propriedades sedativas, antioxidante, anti-histamínica e adstringente, útil em cicatrizes, queimaduras, picadas de insetos, enxaquecas e insônia;

Olibano – tem efeito positivo nas emoções e funções cognitivas além de ser um poderoso anti-inflamatório, atuando também na membrana celular e que, se associado com o óleo de copaíba auxilia no tratamento de epilepsia e convulsão;

Cedro – ajuda a oxigenar o cérebro promovendo clareza de pensamentos, atua limpando vias respiratórias e estimulando a eliminação de toxinas das vias linfáticas.

Para finalizar, deixo com vocês a recomendação de um blend para o auxílio no alívio de cólicas em recém nascidos: usar 20ml de óleo de coco fracionado, com 2 gotas de óleo essencial de lavanda e tangerina, aplicar passando na pele do bebê, massageando a barriguinha.

E lembre-se de buscar um especialista para uma melhor indicação de uso, garantindo a segurança dos nossos pequenos!

Por: Dra. Lara França

Pediatra Especialista em Nutrição Infantil

CRM/GO: 16767 | RQE: 15293

  • rildo-lasmar-revista-mais-saude-ibo
Gostou? Compartilhe!
Você vai gostar também